“CHUNGKING EXPRESS” – OBJETOS ONÍRICOS
Carolina Aguiar

Um universo material serve de mote à progressão dos diferentes cursos de ação do filme Chungking Express, de Wong Kar-wai (1994). As fixações das personagens, que vão dando forma às suas vivências e, ainda que subtilmente, as vão alienando daquilo que as envolve, são suportadas – e, por vezes, até motivadas – por um aglomerado de objetos, embebidos de uma pluralidade de significados. Assim, da forma como as personagens são completamente absorvidas pelas suas próprias obsessões e impulsos, resulta uma narrativa que se vê dominada por sucessivas repetições de motivos e ações; por padrões e rotinas que raramente são suspendidos. O ensaio verbal-visual “CHUNGKING EXPRESS” – OBJETOS ONÍRICOS dá conta de alguns destes padrões de obsessão, amor incompreendido, solidão, passagem do tempo, vingança, fuga e libertação.